quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Dedo-duro

Aí saiu uma matéria no JC de hoje falando que o 'Deu Bode' foi advertido pelo Ministério Público do Trabalho por fumar... aí no meio do texto tem dizendo que "Reportagem publicada pelo JC no dia 14 deste mês denunciou que dois clientes fumavam ao lado dos garçons, a despeito da lei federal".

Na minha época o nome disso era dedo-duro... e ia pro saco.

Pois quando eu vejo alguém fumando em algum lugar proibido, principalmente quando é um desses estabelecimentos grandes com a maior inhaca de família entupida dos bons valores fico rindo sozinho "vai fuma mais, vai fuma mais, vai fuma mais".

Ultimamente ando pensando nas pessoas que jogavam no bicho, acendiam seu cigarro e iam beber nos bares beira de estrada da vida. Vai ter que jogar golfe porque o bicho ta proibido, não pode fumar no bar e... ops, nas estradas ta rolando a lei seca.

Tira bebida, tira o cigarro, tira o bicho, tira o DVD pirata... e viva a noia do meu mundinho perfeito. Só fico pensando que as questões realmente importantes são ocultadas o tempo todo. Esperemos a reação... dedos vão rolar.

Um comentário:

Fábio disse...

Quando começou isso, hein? Fui pedir um cinzeiro hoje no Montmartre e ela me disse pra eu nem acender o cigarro que era proibido.

O problema do Brasil é esse: querer ser primeiro mundo copiando essas coisas "civilizadas" que só acontecem lá quando ninguém tem que se preocupar com tiroteio, cheira-cola, esgoto a céu aberto e gente morrendo de fome.

Mas João Paulo se superou: Recife agora é a capital da violência e da caretice.